Geral

Redação do Gterra, 17/11/2008 às 20h42min

Governo assina convênio para consolidar Plano de Logística e Transporte

O modal rodoviário, hoje com 58%, participará com 33% na matriz brasileira de transporte de cargas, integrando-se ao sistema multimodal de transportes através do carregamento e distribuição de ponta, nos terminais de integração e transbordo.

Foto: Claudia Martins - Secom Telma Pinheiro fala sobre a necessidade de consolidar um plano que equilibre todas as modalidades de transporte
Telma Pinheiro fala sobre a necessidade de consolidar um plano que equilibre todas as modalidades de transporte
Assinado um convênio de cooperação técnica entre o Ministério dos Transportes e a Secretaria de Estado das Cidades e Infra-Estrutura, nesta segunda-feira, no American Flat, em São Luís. O convênio prevê a consolidação do Plano Maranhão de Logística e Transporte, a partir do desenvolvido do Plano Nacional (PNLT), que tem como objetivo dotar o país e o Estado de uma logística necessária e eficiente para o transporte de pessoas e de cargas.

“Acreditamos que a partir de agora vamos desenvolver um trabalho conjunto na perspectiva de termos uma matriz de logística capaz e equilibrada, visando o desenvolvimento regional e de todo o Maranhão”, declarou a secretária Telma Pinheiro. “Somos do Corredor Centro-Norte e temos hoje uma matriz excelente a nível nacional, com a Ferrovia Norte-Sul e os seus ramais (com vários projetos aprovados) e o Porto do Itaqui”, destacou.

Telma Pinheiro explicou que a matriz de transportes atualmente privilegia o rodoviário e a proposta dos planos, nacional e maranhense, é de fazer o equilíbrio nessa matriz com uma cadeia de logística entre o hidroviário, o ferroviário, o aeroviário e o dutoviário.

“Temos necessidade de investir no hidroviário, pois os nossos rios perderam muito da sua potencialidade de transporte”. Ela aponta que muitos rios maranhenses poderão ser utilizados para navegação, a partir de investimentos previstos até 2023, entre eles o Itapecuru, considerado um dos principais pela sua importância econômica e de grande manancial, responsável pelo abastecimento de água de São Luís.

Há necessidade também de melhoria da malha rodoviária estruturante, com projetos previstos para serem desenvolvidos pelo Ministério dos Transportes, esperando liberação de recursos. Na logística de transporte, o governo estadual apresentou ao governo federal a prioridade de construção da BR-402, que ligará Barreirinhas (MA) a Parnaíba (PI), compondo um eixo turístico importante que tem também o apoio do Governo do Ceará; a recuperação da BR-235 (importante por ser um dos ramais de escoamento da produção de soja) e da BR-308 (que liga São Luís à Baixada Maranhense).

“É preciso reduzir custos e o programa prevê a construção de uma matriz rodo, ferro e hidroviária, capaz de ser integrada reduzindo os gastos com transportes de cargas e de pessoas”, explicou Telma.

A reunião contou com a presença de técnicos do Ministério dos Transportes, das secretarias das Cidades e Infra-Estrutura e Indústria e Comércio, Codomar, Fiema, Vale e Transnordestina.

O PNLT representa o marco inicial da retomada, em caráter permanente, das atividades destinadas a orientar o planejamento das ações públicas e privadas no setor dos transportes, com embasamento científico.

O plano nacional de transporte dá ênfase a ações e projetos de adequação e exportação dos sistemas ferroviário e aquaviário. Na medida em que esses projetos e ações sejam concretizados será possível alterar, em um horizonte entre 15 e 20 anos, a participação do modal ferroviário dos atuais 25% para 32% e do aquaviário de 13% para 29%.

O modal rodoviário, hoje com 58%, participará com 33% na matriz brasileira de transporte de cargas, integrando-se ao sistema multimodal de transportes através do carregamento e distribuição de ponta, nos terminais de integração e transbordo.

“Dentro do Plano o investimento será voltado para promover a multimodalidade, pois a matriz principal de transporte ainda é muito distorcida no país”, defendeu o coordenador de Planos, Programas e Projetos do Ministério dos Transportes, Laerte Correa Marques. “Vamos procurar modificar os investimentos para que os outros modais menos utilizados tenham a devida importância de maneira a baratear os custos com transporte. Os modais ferroviário e hidroviário receberão incentivos para mudar o perfil de modal rodoviário, que representa quase 60% do meio de transporte no Brasil, para essas novas alternativas de escoamento de cargas e mesmo de pessoas”, destacou.

O Plano maranhense foi elogiado pelos técnicos federais, considerado como um dos melhores de todo o Brasil. “Estamos apresentando as ações já desenvolvidas pelo PNLT, os investimentos propostos para o Maranhão, alguns demandados pelo PAC, e vamos definir as prioridades para a consolidação do plano maranhense”, acrescentou Laerte.

O Plano Nacional de Logística e Transporte tem como meta criar uma base de dados e instrumentos de análise, sob a ótica logística, para oferecer apoio ao planejamento de intervenções públicas e privadas na infra-estrutura e na organização dos transportes. Assim, o setor de transportes poderá contribuir para o alcance das metas econômicas, sociais e ecológicas do Brasil, rumo ao desenvolvimento sustentado.




Fonte: Governo do MA

Comentários (0)


Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!