Geral

Redação do Gterra, 20/04/2010 às 17h16min

Médico corta cabeça de bebê durante parto e criança é morta em Imperatriz

O médico teria cortado a cabeça da criança para salvar a mãe

Edição Gterra


Michelle Almeida



Uma tragédia abalou uma família de Imperatriz, na noite do último domingo, 18. Um bebê teve a cabeça cortada logo após o parto para poder salvar a mãe. Segundo a delegada Marilley Almeida, o fato foi registrado pelo pai da menina, Manuel Araujo dos Santos Filho.


No depoimento prestado à polícia, Manuel informou que acompanhava sua esposa, Gesilene dos Santos Silva, no Hospital Regional Materno Infantil. A jovem estava grávida de nove meses e, segundo o seu marido, teve uma gravidez normal e fez pré-natal.


Por volta das 18h, Gesilene deu entrada no hospital onde seria feito o parto normal. Às 21h o médico saiu da sala e disse ao pai da menina que houve complicações no parto e que o bebê teria ficado preso. Diante das circunstâncias, o médico cortou a cabeça da criança visando salvar a mãe. Manuel também informou que o médico disse que, o bebê, que era uma menina, já estava morto quando o procedimento foi feito.



Morta há 48 horas

De acordo com Clidenor Simões, diretor do Hospital Regional Materno Infantil, foi feito o exame na mãe do bebê onde foi constatado que a criança já não tinha batimentos cardíacos e que Gesilene foi informada da situação.

A mãe já apresentava oito centímetros de dilatação e teria que expulsar o feto. O médico tentou realizar a operação da forma normal, via vaginal, mas não conseguiu. Morto o bebê teria inchado dentro do útero, assim acabou ficando preso. Com a gravidade do caso a criança teve a cabeça decapitada para que o corpo pudesse ser retirado.

Simões explicou que Gesilene tinha diabetes, o que caracteriza uma gravidez de risco. O alto índice de glicemia pode ter provocado a morte da criança mais de 48 horas antes do parto.

A delegada Marilley Almeida encaminhou o inquérito policial para a diretoria do Hospital Regional Materno Infantil e prosseguirá as investigações sobre o caso. A diretoria aguarda o laudo exame cadavérico feito pelo Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz, que terá a causa da morte da menina.


Atualizado às 12h20 para acréscimo de informações.






Fonte: O Imparcial

Comentários (5)

  • É um absurdo as pessoas insentarem os verdadeiros culpados que são esses "profissionais da saúde" e culparem sempre a Deus. O que Deus tem a ver com um governo corrupto, com uma saúde falida?Nada! Mas o discurso é sempre o mesmo: Deus sabe todas as coisas, Deus levou. Deus não é assassino de criancinhas, Deus é amor, bondade e misericórdia e com certeza não fica lá de cima satisfeito com o sofrimento das pessoas aqui em baixo. Culpemos os verdadeiros culpados: o sistema, os governantes e médicos e enfermeiras que trabalham como se a vida das pessoas fossem NADA. Rita Brito, Braslia-DF - 08/06/2011 às 18h08min
  • nossa da até medo deter um filho e os médicos que estudam e se formam mais parace até compra os diplomas !canalha como faz isso com uma criança ! fabiola pires, Serra-ES - 13/09/2010 às 14h42min
  • Acho que devemos esperar o laudo do IML, para podermos tirar alguma conclusão a respeito. Mas o que tenho a dizer para essa mãe, é que tudo é da vontade de Deus, peça pra que Ele te conforte, imagino que não é fácil esperar e desejar uma criança por 9 meses, mas tudo tem um próposito, Deus não dá a cruz maior do que se possa carregar. Smara Resende, So Vicente-SP - 08/09/2010 às 19h49min
  • isso acontece tudo e dar vontade de deus ninguem deve culpa ninguem! raquel mendes, Canarana-MT - 23/04/2010 às 09h06min
  • eu ñ posso dizer nada sobre isso atá pq foi um ato meio contrangidor nada a declarar lenny lenny, So Lus-MA - 21/04/2010 às 15h59min

Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!