Polícia

Redação do Gterra, 09/05/2011 às 17h20min

Estudante de direito é presa acusada de integrar quadrilha

A universitária era integrante ativa da quadrilha chefiada por um grande traficante identificado por Cícero

Edição Gterra


A prisão de uma estudante universitária, do décimo semestre do Curso de Direito, levou a Polícia a identificar os componentes de uma quadrilha de traficantes responsável por montar um laboratório de produção de drogas em Fortaleza. A aluna, identificada apenas como Adriana, foi presa por agentes da Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança Pública, em uma casa no bairro Conjunto Prefeito José Walter.

Adriana era integrante ativa da quadrilha chefiada por um grande traficante identificado por Cícero. Este seria o homem que comandava o grupo do qual fazia parte o também traficante, ladrão de carros e sequestrador Marcos Antônio da Silva, 27, o ´Marquinhos´, que sofreu um atentado, a tiros de fuzil, na noite da última quinta-feira quando saía do condomínio onde morava, em Parangaba. Ali também funcionava um laboratório de drogas.

Um trabalho conjunto que vem sendo realizado pela Coin, a Delegacia de Narcóticos da Polícia Civil (Denarc) e o Departamento de Polícia Especializada (DPE), conseguiu identificar toda a quadrilha. "São bandidos de altíssima periculosidade e estão fortemente armados", afirma o delegado Jairo Façanha Pequeno, diretor do DPE. Fontes da Inteligência revelaram, com exclusividade para o Diário do Nordeste, que, na madrugada de quinta-feira foi localizado um segundo endereço da quadrilha. Tratava-se de uma casa na zona de praia no Município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza.

"Provavelmente lá, eles guardavam as armas longas, como fuzis de calibre 5.56", contou a fonte. "Quando chegamos lá, eles já haviam retirado a droga que estava estocada para venda", completou a fonte.

Envolvida

A prisão da universitária Adriana também possibilitou para a Polícia compreender toda a extensão da quadrilha que vendia drogas como cocaína, crack e maconha em grande escala em Fortaleza e na Região Metropolitana. No apartamento de ´Marquinhos´, na Parangaba, a Polícia encontrou documentos da estudante. "Ela conseguiu fugir no dia do atentado. Foi esconder-se em outra residência, no José Walter, onde nós a localizamos", disse.

Levada para a Delegacia de Narcóticos, Adriana foi autuada em flagrante por crime de associação para o tráfico de drogas. Ainda na sexta-ferira passada, ela foi transferida para a carceragem feminina da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap) e hoje seguirá para o Presídio Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Aquiraz.

Sobrevivente

Já o traficante ´Marquinhos´, que sobreviveu ao atentado com vários tiros nas pernas e nádegas, deixou um hospital particular onde estava internado sob escolta do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e foi transferido para uma das três Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPL).

O atentado ocorreu por volta das 19h30 de quinta-feira quando o traficante saía do condomínio onde morava e, ao passar pela portaria dirigindo seu veículo Golf vermelho, caiu numa cilada preparada pelos bandidos que eram seus comparsas. Os bandidos dispararam cerca de 30 tiros de fuzil de calibre 5.56. ´Marquinhos´ conseguiu se esquivar, deu ré no automóvel e escapou da morte.

Dentro do carro, a Polícia encontrou ´tijolos´ de maconha prensada. Em seguida, invadiram o apartamento dele e localizaram mais drogas, apetrechos para fabricação de crack, armas e munição. Havia 44 quilos de maconha, sete quilos de pasta-base de cocaína, 440 gramas de cocaína já pronta, 25 quilos de bicarbonato de sódio (usado no preparo das drogas), além de dois revólveres de calibre 38, uma pistola de calibre Ponto 40 (0.40), de uso restrito da Polícia; munição de diversos calibres, inclusive para fuzis 5.56, similar ao americano AR-15.

Enquanto ele permanecia internado num hospital particular, seu telefone foi mantido em poder da Polícia e várias ligações foram feitas. "Havia forte indícios de que a quadrilha poderia tentar invadir o hospital. Por isso, a escolta foi reforçada e, logo que ele recebeu alta, foi transferido para um presídio da região metropolitana".


Entorpecentes

44

Quilos de maconha prensada foram encontrados pela Polícia no apartamento de um dos membros da quadrilha de traficantes de drogas


FERNANDO RIBEIRO



Fonte: Diário do Nordeste

Comentários (0)


Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!