Polícia

Redação do Gterra, 27/07/2009 às 05h55min

Policias Militares gastam 10% do salário com o farda

Os soldados da Polícia Militar do Piauí têm direito a apenas um conjunto de farda durante o ano interior. Este total é considerado irrisório pela tropa que se quiser usar uma calça ou uma camisa nova, por exemplo, terão de pagar do próprio bolso.

Edição Gterra

Os soldados da Polícia Militar do Piauí têm direito a apenas um conjunto de farda durante o ano interior. Este total é considerado irrisório pela tropa que se quiser usar uma calça ou uma camisa nova, por exemplo, terão de pagar do próprio bolso. “Pela situação que passamos temos a impressão que a PM-PI está vivendo uma verdadeira pindaíba”, diz um PM ouvido pela reportagem e que pediu para o nome não ser divulgado temendo perseguição por parte dos seus superiores.

Sempre que um fardamento novo é solicitado os superiores argumentam que é contra o regulamento e quem quiser que compra uma farda nova com o seu próprio dinheiro. Coincidência ou não, a farda nova só é vendida numa loja de um dos coronéis da PM. E os preços são bem salgados: uma calça nova não sai por menos de R$ 50,00 e o conjunto calça e camisa fica em torno de R$ 140,00.

Segundo o militar, um fardamento é muito pouco se for levado em consideração que os militares passam no mínimo 24 horas fardados. Quando o soldado está num batalhão onde há muita ação, onde ele é obrigado a se embrenhar no mato, entrar em rios e lagoas ou mesmo rolar no chão agarrado com bandidos, a situação se torna insustentável.
“Se nós tivéssemos o direito a um segundo jogo de fardamento era só trocar e lavar o sujo, como não há, o jeito é ficar com as mesmas roupas”, argumenta. Tidas como mais chegadas a uma limpeza do que os homens, as mulheres sofrem mais com a falta de fardamento. Ouvidas pela reportagem algumas delas informaram que o ideal seria que cada soldada tivesse direito a no mínimo duas fardas por semestres, hoje elas estão na mesma situação que os homens e sendo obrigadas a trabalhar com a mesma farda que ganharam ainda no início do ano.

O pior, segundo os PMs, é que eles ainda correm o risco de serem punidos se não zelarem a farda. “Como vamos fazer isto”, indaga. A PM é tão rigorosa neste aspecto que até mesmo os coturnos e os quepes velhos devem ser devolvidos pelos policiais. “Não se sabe para que eles querem tudo isto”, diz o PM.

Por este e outros motivos que a cidade está cheia de PMs maltrapilhos. Eles usam a farda até rasgar, perder a cor natural, mas como não recebem outra, não tem como trocar as roupas. “Se você ver dois policiais da Codam, por exemplo, um com uma farda nova e a outra se rasgando, pode ter certeza que até da farda velha é um PM das antigas e que o soldado novo ganhou o fardamento há poucos dias, mas logo também estará com a calça e a blusa desbotada”, diz o PM.


Roupa é inadequada ao clima do Piauí


Para alguns policiais militares ouvidos pela reportagem, além do fardamento não ser fornecido com a regularidade necessária, ele ainda é considerado inadequado para ser usado em Teresina onde as temperaturas chegam com facilidade aos 40 graus Celsius.
Hoje os militares usam uma farda de um tecido que não permite a passagem de ar com regularidade. Ou seja, na maior parte do dia, o PM que não trabalha numa repartição, sofre com o calor e com os pés suando cheios de micoses porque ficam dentre de coturnos quentes e com meias encharcadas durante várias horas.


O ideal, segundo os PMs, para a Capital, salvo alguns locais como repartições pública durante o horário de expediente, é que os soltados usassem o mesmo fardamento da PMTur, a companhia localizada no litoral onde os militares trabalham com um short e uma camiseta, além de calçados arejados que não permita que o soldado contraia as micoses. Além do fardamento, outra reclamação é de que o Comando da PM hoje só tem olhos para o Rone que tem as melhores armas. Nas demais companhias, a situação é bem diferente. Na Cosme e Damião, por exemplo, cerca de 120 policiais são obrigados a dividir 20 armas em péssimo estado de funcionamento e muitas até enferrujada. Sem contar a situação das motos que estão quase todas virando latas velhas.






Fonte: Diário do Povo

Comentários (0)


Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!