Política

Redação do Gterra, 24/12/2010 às 12h23min

Ministro diz que Wilson vai indicar o presídente da Codevasf

Ele já acertou tudo com Dilma

Foto: : Julio Jacobina /DP/ D.A Press Fernando Bezerra
Fernando Bezerra
Edição Gterra



Edição Gterra



Escolhido como ministro da Integração Nacional para o governo Dilma Rousseff (PT), Fernando Bezerra Coelho (PSB) aprendeu a esperar o tempo certo da política. Depois de se colocar na ´fila` do Senado e ser obrigado a retirar o nome após uma conversa com o governador Eduardo Campos (PSB), o socialista preferiu se dizer espectador e não protagonista de 2014. Na segunda entrevista coletiva que deu após ser confirmado por Dilma, ele se mostrou disciplinado e agradecido a Eduardo por indicar seu nome. ´Tirem meu nome dessa fila`, disse

Embora a ida para o ministério já coloque Bezerra Coelho como um dos candidatos naturais ao governo, ele optou, ontem, por negar futuras pretensões políticas. Disse que todas as articulações seriam conduzidas pelo governador e só pensava agora no ministério, que terá um perfil mais nacional, além das mudanças na Codevasf, no Dnocs e na Sudene.

Bezerra Coelho garantiu estar confiante na gestão de Dilma, chegando a apostar que será melhor que a de Lula. Ele disse que ouviu a presidente eleita e acatou as sugestões para não fechar o ministério apenas com nomes do PSB. Segundo FBC, o presidente da Codevasf será escolhido pelo governador eleito do Piauí, Wilson Martins, mas o do Dnocs será uma indicação das lideranças do PMDB do Rio Grande do Norte, como o deputado federal Henrique Alves e o senador eleito Garibaldi Alves (PMDB). (Aline Moura)

Obras

Na reunião com a presidente Dilma, ela recomendou expressamente atenção e cuidado para agilizar e concluir a obra da Transposição do Rio São Francisco. A informação que recebi do ministro João Santana é de que a obra, até 31 de dezembro, deve alcançar aproximadamente 50% do seu cronograma físico. O eixo Leste teria condições de entrar em 2011. Já o eixo Norte só deve estar concluído em 2012. Já a Transnordestina deve estar concluída no primeiro semestre do próximo ano, mas só o trecho que vem do Piauí até Suape.

Codevasf turbinada

Dei uma sugestão que a presidente concordou: quem vai administrar o canal (de transposição) é a Codevasf, não vai ser criada uma empresa nova. A Codevasf passará por uma grande reestruturação. O governo federal vai se reaproximar do Banco Mundial, que tem uma larga experiência em termos de gestão de água. A presidente deu sinal verde para essa iniciativa. Devemos organizar um seminário já com técnicos do banco nos primeiros 60 dias de 2011.

Divisão de cargos

A presidente me deu total liberdade para compor a equipe, tanto no ministério quanto na Codevasf e no Dnocs. (...) Mas é óbvio que teremos atenção com as forças políticas (...) Posso avançar que a Codevasf que vai ser uma indicação do PSB e, dentro dos governadores do PSB, vamos prestigiar o do Piauí. Já as articulações para o Dnocs, a presidente Dilma recomendou que ouvisse, de forma particular, a representação do Rio Grande do Norte, como Henrique Alves e Garibaldi Alves.

Novo papel da pasta

Embora o nome seja Integração Nacional, o ministério hoje é visto como sendo do Nordeste. Ele deverá recuperar seu papel de ação em todo o território nacional. O grande objetivo é promover políticas públicas que possam integrar regiões mais pobres com as mais desenvolvidas.

Afagos em Wagner

Além da transposição e da transnordestina, o ministério tem como atribuição específica duas grandes ações: a política de recursos hídricos (abastecimento) e irrigação, que preveem investimentos na ordem de R$ 14 bilhões em quatro anos. A presidente já definiu pela prioridade de dois projetos, como o Salitre e o Irecê (ambos na Bahia), e vamos priorizar isso para que a gente possa viabilizar a obra do Canal do Sertão (em Pernambuco) porque a captação de água se dá em Sobradinho.

Dilma e Eduardo

Com certeza (assumo o compromisso de dar continuidade nas obras). Na realidade, a expectativa que está colocada é que a presidente Dilma vai fazer mais do que o presidente Lula. Eu tenho confiança que ela vai fazer mais e melhor porque ela está recebendo um Brasil muito melhor do que Lula recebeu. Certamente o governo de Eduardo também vai fazer ainda mais pela sua articulação e evidente que vai contar com o nosso apoio. Afinal de contas, eu sou ministro da integração pelo patrocínio do governador Eduardo Campos e com o apoio do PSB. Evidente que nós vamos ajudar Pernambuco, o Nordeste, o Brasil. Há dez anos, quem poderia dizer que o ministério iria ter oito bilhões de dólares para gastar em quatro anos.

Água para todos

Eu disse a Dilma que o presidente Lulauniversalizou o acesso à energia e que caberia a ela, no curso do governo dela, fazer o desafio de permitir o acesso à água, mesmo que seja de carro-pipa.

Candidato em 2014

Vocês me tirem logo dessa lista. (risos) Quem vai ser o grande árbitro da eleição de 2014 é o governador Eduardo Campos. Ele fez um grande governo, foi o governador mais votado do país, tem tudo para fazer um governo ainda melhor e vai ter todas as condições de encaminhar bem a sua sucessão. Estou fora dessa lista e estou dedicado e trabalhando em favor da presidente Dilma Rousseff. Espero poder ajudar o Nordeste e o governo de Pernambuco de forma especial.

Sudene repaginada

Nessa primeira reunião com a presidente, coloquei duas sugestões (para a Sudene). Primeiro, a Sudene poderia articular políticas públicas para que a gente pudesse fazer a transição do Bolsa Família para a empregabilidade, para o emprego e para a renda. Um outro papel é discutir o reforço, a qualificação da infraestrutura do Nordeste. Tem muitas outras obras que precisam ser pensadas e articuladas com os outros estados do Nordeste para que possam dar um outro dinamismo à economia regional.

Gurus

Devo me encontrar com Tânia Bacelar e João Recena, que são dois amigos e grandes técnicos, e vou bater um papo para fixar mais os conceitos de como o ministério deve ser estruturado. Depois, devo conversar com o governador Eduardo Campos, com o professor Luciano Coutinho, que é grande amigo nosso, e com o ex-ministro Fernando Lyra. Depois de ouvir esses amigos, eu vou começar a tomar as decisões de escolhas de nomes



Fonte: Diário de Pernanbuco

Comentários (2)

  • A escolha do sertanejo Fernando bezerra coelho para O Min da integração Nacional, foi gratificante para o nosso estado, pois ali é o que temos de melhor nos último tempos na política pernambucana, como sempre os sertanejos agradecem ao governador do estado Eduardo campos.
    Aqui quero deixar minha sugestão: porque não juntar as companhias Codevasf e DNOCS, com tanta experiência em tratamento, armazenamento de água e projetos de irrigação, entre outras, acredito ser uma ótima idéia.
    Gilvandro cabral Cabral, Parnamirim-PE - 02/05/2011 às 15h51min
  • Gostei do nome de Fernando Bezerra como Ministro isso bom para o nordeste e principal para Pernambuco. Osmy Firmino da Silva, Aracaju-SE - 15/02/2011 às 10h16min

Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!