Política

Redação do Gterra, 18/05/2017 às 04h52min

Piauí é o 2º do Nordeste na geração de empregos formais de acordo com o Caged

Foram 6.568 novas contratações formais em abril, atrás apenas do estado da Bahia

Foto: Ccom Piauí é o 2º do Nordeste na geração de empregos formais de acordo com o Caged
Piauí é o 2º do Nordeste na geração de empregos formais de acordo com o Caged
 Edição: Gterra

O Ministério do Trabalho e Emprego divulgou, nessa terça-feira (16), os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). De acordo com os dados, o Piauí fechou o mês de abril com saldo positivo (0,08) na criação de postos de trabalho, sendo o segundo estado no Nordeste com a maior geração de empregos formais, com 6.568 novas contratações formais, atrás apenas da Bahia. Os demais estados da região fecharam o mês com saldo negativo de geração de empregos de acordo com o Caged.
O resultado mostra que, mesmo em meio à crise econômica que tem assolado vários setores da economia, o estado tem se destacado mês após mês na criação de novos postos de trabalho. De acordo com o Caged, setores como a Indústria de Utilidade Pública (0,67), Comércio (0,37) e Serviços (0,31) apresentaram avanços, o que ajudou nos números positivos do estado. Numa comparação entre admissões e demissões, o Piauí teve um saldo positivo de 225 vagas.

Apenas 15 das 27 unidades da federação tiveram saldo positivo de empregos em abril, ou seja, criaram mais do que fecharam vagas com carteira assinada, de acordo com o ranking geral do Caged. Desde o ano passado, o Piauí vem se destacando na criação de vagas. No mês de janeiro, o estado também tinha sido o primeiro do Nordeste, mantendo-se entre os três primeiros na posição em abril com a criação de 6.568 vagas de empregos no mercado formal.
A geração de empregos no Piauí é resultado da participação ativa do Governo do Estado no estímulo ao crescimento econômico e na geração de empregos. O governo estadual mantém os incentivos fiscais, prossegue com o programa de atração de investimentos privados nacionais e internacionais – o governador mantém viagens internacionais buscando investidores – e mantém em dia suas obrigações com fornecedores e com a folha de pagamento do funcionalismo. Somadas, essas medidas mantêm a economia aquecida.

A Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Setre) tem sido um órgão importante para a melhoria das políticas públicas de geração de emprego e renda. Gessivaldo Isaías, gestor da secretaria, afirma que o Piauí vem remando na contramão da crise e aumentou o vínculo com as empresas para novas contratações. “Em meio à crise econômica, temos fortalecido a oferta de cursos profissionalizantes no estado, estimulando as empresas a caminhar na contra mão do desemprego. O Sine diariamente tem ido à procura e capturado vagas, encaminhando os trabalhadores para o mercado de trabalho, tendo a cada mês alegria de estarmos crescendo e dando melhorias para o nosso estado”, ressaltou o gestor
Em abril, a Setre ofertou cerca de 400 vagas nos cursos de qualificação realizados em todo o estado. Paralelo à oferta desses cursos, o órgão atua por meio do Sine Piauí na captação de vagas nas empresas privadas e faz o encaminhamento de trabalhadores que participam dos cursos e que são cadastrados. No segundo mês de 2017, foram feitos 1,5 mil encaminhamentos ao mercado de trabalho.
No decorrer dos cursos, também é disponibilizada para aqueles que já possuem pequenos negócios, a oportunidade de saírem da informalidade e registrarem suas empresas. Paralelo a isso, palestras sobre gestão e empreendedorismo são ministradas como forma de auxiliar os trabalhadores.




Fonte: Ccom

Comentários (0)


Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!