Saúde

Redação do Gterra, 13/01/2010 às 17h52min

Remédios mais barato: Farmácias concedem descontos de até 60%

Retomada dos descontos mais elevados promete esquentar novamente a guerra de preços entre farmácias

Foto: Divulgação Farmácias concedem descontos de até 60%
Farmácias concedem descontos de até 60%
Após o desembargador José Mário dos Martins Coelho decretar a extinção da ação civil pública que limitava os abatimentos nos preços dos remédios a 15%, os consumidores de Fortaleza já podem, a partir de hoje, economizar na compra desses produtos. Pelo menos a Drogaria São Paulo, já se posicionou informando que passará a conceder descontos entre 25% e 60% em todos os seus medicamentos.

"A Drogaria São Paulo briga para vender medicamentos mais baratos no Ceará desde 2004, quando chegou à cidade de Fortaleza. De lá para cá, inúmeras vezes foi impedida de repassar descontos para os clientes, por conta de processo movido pelo Sincofarma, entenda-se: o sindicato dos proprietários de farmácias da cidade. Recentemente, a Justiça estadual deu extinção ao processo, reafirmando o direito de vender medicamentos mais barato à população. Espera-se que esta batalha judicial esteja chegando ao fim", diz nota emitida através de sua Assessoria de Imprensa.

"Vamos ter o remédio mais barato do Brasil. Serão praticados os mesmos preços que temos em lojas de outros Estados", salientou o advogado da Drogaria São Paulo no Ceará, Júlio Militão. O advogado, que também defende a Farmácia Extrafarma - outra que já havia comercializado medicamentos com abatimento de preço - informou que essa será outra empresa que deverá seguir o mercado. "O que puder dar uma margem de lucro razoável vão praticar. É uma questão de respeito à população que já tem tantos gastos com remédios", completou Militão. Já o presidente da Farmácia Pagues Menos, Deusmar Queirós, se posicionou afirmando que a decisão judicial de liberar descontos acima de 15% para remédios não altera a política de preços do grupo.

Respeito aos pequenos

"Temos que ter uma política de boa vizinhança. Quem é líder de mercado tem que respeitar os pequenos [estabelecimentos]. Não posso me aproveitar da condição de grande e prejudicar os outros. Não somos a favor de guerra de preços. Vamos fazer o que sempre fizemos. Continuar oferecendo preços atrativos", disse o empresário.

O assessor jurídico do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Ceará (Sincofarma), Fábio Timbó, foi procurado pela reportagem para se manifestar sobre o assunto, mas não atendeu o seu celular.




Fonte: DIARIO DO NORDESTE

Comentários (1)

  • nossa que farmascia bonita demais Paola Cristina, Americana-SP - 07/07/2011 às 02h05min

Formulário Comentário  

Deixe seu comentário




 


 


 





OBS: Todos os campos marcados com * (asterisco) são de preenchimento obrigatório!